túnel do marão

Sócrates: Passos Coelho "não percebeu o simbolismo desta obra" 

José Sócrates comenta as palavras do antigo primeiro-ministro que disse que não iria reclamar louros na inauguração. Sócrates volta encontrar Costa, "mas isso não é o mais importante".

À chegada, à inauguração do Túnel do Marão, José Sócrates não deixou escapar uma crítica a Passos Coelho:

"Eu ouvi, ontem, o antigo primeiro-ministro referir-se a este túnel, dizendo que se fosse ele não viria. Eu acho que ele tarda em compreender o simbolismo desta obra. Isto é mais do que uma obra pública, isto é mais do que um túnel, isto é o reencontro do país consigo próprio", disse Sócrates.

O antigo líder do PS e ex-primeiro-ministro considera importante que o atual chefe de governo, António Costa, "venha assinalar este momento" e estranha que tenha demorado "tantos anos" a ser feita "justiça e igualdade aos transmontanos."

José Sócrates esteve presente na inauguração a convite de António Costa, sublinhando que "este governo faz convites "como antigamente, com grandeza democrática".

Sobre o reencontro com Costa, depois dos momentos de distanciamento, Sócrates desvalorizou, dizendo que "isso não é o mais importante" e preferiu sublinhar o momento em que deixa de haver transmontanos "de cá e de lá".

  COMENTÁRIOS