Educação

Reconhecimento de titulos académicos vem ao encontro de preocupações, diz Ordem dos Arquitetos

João Belo Rodeia, presidente da Ordem dos Arquitetos, lembrou que, por exemplo, falta resolver a questão dos vistos de trabalho. Carlos Matias Ramos, bastonário da Ordem dos Engenheiros, diz que o acordo entre Portugal e Brasil foi «passo de gigante».

O presidente da Ordem dos Arquitetos considera que o reconhecimento dos títulos académicos portugueses no Brasil abre novas oportunidades e facilita o relacionamento entre os arquitetos dos dois países.

Em declarações à TSF, João Belo Rodeia adiantou que o acordo assinado esta segunda-feira entre Portugal e o Brasil «vem ao encontro das preocupações que existiam atualmente».

«A Ordem tem vindo a trabalhar com o Ministério dos Negócios Estrangeiros numa comissão que fez esse tipo de acompanhamento deste problema», lembrou.

João Belo Rodeia, que acredita que este acordo vai facilitar muito a circulação de licenciados entre os dois países, lembrou, contudo, que este é apenas um dos problemas que existia.

«Depois, há toda a burocracia que tem de ser contemplada e que diz respeito ao acesso profissional em cada um dos países. mas há outras questões, como os vistos de trabalho e que estão ainda por resolver e que espero que possam, pouco a pouco, ser resolvidas», concluiu.

O bastonário da Ordem dos Engenheiros, Carlos Matias Ramos, entende, por seu lado, que este acordo marca um «passo de gigante no sentido de uma grande e melhor relação entre as engenharias dos dois países».

  COMENTÁRIOS