Pinto Monteiro

Caso submarinos: PGR diz que não há dinheiro para perícias

O procurador-geral da República (PGR) justificou hoje o atraso na investigação do caso da compra por Portugal de dois submarinos à Alemanha com a falta de dinheiro para a realização de perícias.

«É muito difícil quando mete perícias. São caríssimas e temos estado à espera que o Ministério da Justiça disponibilize a verba», disse Pinto Monteiro, a propósito do inquérito sobre a compra de submarinos que está a ser investigado há anos pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP).

O PGR falava aos jornalistas à margem da apresentação do estudo "O Custo Económico e Social dos Acidentes de Viação em Portugal", em Lisboa.

Pinto Monteiro justificou ainda o atraso na conclusão do inquérito à compra de dois submarinos à empresa alemã Ferrostaal com a falta de cumprimento por parte das autoridades germânicas de cartas rogatórias, para realização de diligências judiciais naquele país.

«São necessárias cartas rogatórias para a Alemanha e depois o cumprimento das entidades [do país] não se verifica», afirmou o PGR, assegurando que o processo relativo à compra dos submarinos «não está parado».

  COMENTÁRIOS