crise

Mundo subordinado a «globalização» feita por «pequeno grupo de indíviduos», diz Xanana

Ao receber o seu doutoramento Honoris Causa na Universidade de Coimbra, Xanana Gusmão advogou que esta globalização fez o «mundo perder o seu rumo».

O primeiro-ministro de Timor-Leste considerou que a «nova ordem mundial ficou subordinada à globalização de ideias formulada por um pequeno grupo de indivíduos».

No dia em que recebeu o título de doutor Honoris Causa pela Universidade de Coimbra, Xanana Gusmão adiantou ainda que esta globalização de actos, políticas, regras e critérios fez o mundo perder o rumo.

«O mundo, no seu colectivo maior, perdeu o rumo, porque só age por reflexo e perdeu a subtileza de ser humano e tornou-se refém da padronização do seu activo íntimo, que é o acto de pensar, conhecer e entender para inspirar acções», acrescentou.

Para Xanana, o mundo ficou também «subjugado pelos interesses dos poderosos», tendo a «democracia sido violentada para a defesa dos mais fortes» e os «Direitos Humanos sido espezinhados pelos interesses económicos».

«O mundo necessita de coragem para romper com as barreiras dos interesses pretensamente globais que conduzem a actos de injustiça com que nos deparamos e testemunhamos directa ou indirectamente», explicou.

Para o antigo resistente, à humanidade analfabeta e descalça dos anos 60 sucedeu outra que continua analfabeta, escrava e descalça, porque os sapatos estão sempre a pedir reciclagem.

  COMENTÁRIOS