presidência da república

A surpresa dos partidos... surpreendeu Belém

Ao que a TSF apurou, a Presidência da República não entende porque é que PSD, PS e CDS reagiram com espanto à comunicação ao país de Cavaco Silva, na semana passada.

No Palácio de Belém, quem acompanhou de perto as audiências que o Presidente da República manteve com os principais partidos, na terça-feira da semana passada, ficou surpreendido com o tom das reações partidárias à solução anunciada por Cavaco Silva.

Ao que a TSF sabe, durante essas conversas, o Presidente não afirmou preto no branco o que iria fazer, mas deu sinais fortes do que realmente pretendia - um entendimento alargado entre os três principais partidos, um compromisso de salvação nacional.

Em Belém, ainda é considerado prematuro falar de cenários pós-negociação, e a frase do Presidente «sem a existência desse acordo, será possível encontrar naturalmente outras soluções no quadro do nosso sistema juridico constitucional», é encarada apenas como uma porta aberta a diversos cenários. Saídas de emergência que a Presidência da República espera não precisar.

Ao que a TSF sabe, o Presidente está optimista no sucesso das negociações que começaram ontem e tem confiança num entendimentos entre PSD, PS e CDS.

Notícias Relacionadas

  COMENTÁRIOS