Barómetro

Barómetro: PSD e CDS com maioria, Sócrates impopular

O PSD desceu um ponto em Março, mas continua perto da maioria absoluta, que é obtida com o CDS. José Sócrates recebe nota negativa de 72% dos inquiridos. Cavaco Silva também desce.

O Barómetro da Marktest para a TSF e o Diário Económico revela que o PSD e o CDS/PP garantem mais de metade, 53%, das intenções de voto para a Assembleia da República.

Sozinho, o PSD regista 46,7%, apesar de ter perdido um ponto relativamente a Fevereiro. O CDS/PP recupera 2 pontos e convence agora 6,3% dos 805 inquiridos.

Com o centro-direita em alta, o PS perde 4 pontos em Março e regista 24,5% de intenções de voto, o segundo valor mais baixo desde que José Sócrates chegou à liderança do partido.

O Bloco reconquista 3 pontos e está com 8,9%. A CDU sobe 6 décimas, convencendo 6,7% dos inquiridos.

Entre os líderes partidários, na semana em que o primeiro-ministro entregou o pedido de demissão em Belém, 72% dos inquiridos dá nota negativa a José Sócrates.

Ao fim de seis anos de governação, apenas 18% classifica como positivo o desempenho de José Sócrates. Em Outubro de 2009, no início da actual legislatura, o primeiro-ministro era avaliado de forma positiva por 42% dos inquiridos.

Pedro Passos Coelho também tem saldo negativo: menos 7,5%, uma queda de 9 pontos em relação ao mês passado. O líder do PSD consegue 33 por cento de opiniões positivas, mas tem um desempenho negativo para 39% dos 805 inquiridos.

O Presidente da República continua a perder popularidade. Cavaco Silva cai 2 pontos no saldo entre opiniões positivas e negativas. É avaliado de forma positiva por 47 por cento dos inquiridos e olhado com menos simpatia por 34%.

Jerónimo de Sousa ganha 4 pontos de opiniões positivas relativamente a Fevereiro enquanto Francisco Louçã e Paulo Portas recuperam um ponto percentual cada, em relação ao mês passado.

Ficha Técnica:

Sondagem/estudo da Marktest para a TSF e Diário Económico; O trabalho de campo/recolha foi realizado entre os dias 18 e 23(sendo 18% das entrevistas realizadas na quarta-feira, dia em que, cerca das 21h00, José Sócrates apresentou a demissão a Cavaco Silva); Objectivo da sondagem: Análise da intenção de voto para a Assembleia da República e avaliação da imagem do Presidente da Republica, Primeiro Ministro e líderes do PSD, CDS-PP, CDU e BE.

Universo: População de Portugal Continental com mais de 18 anos e telefone fixo. Foram realizadas 161 entrevistas na Grande Lisboa, 89 no Grande Porto, 131 no Litoral Centro, 154 no Litoral Norte, 178 no Interior Norte e 92 no Sul. A taxa de resposta foi de 20,3%. 28,6% dos inquiridos deu como resposta: não sabe/não responde. Os indecisos e não votantes foram distribuídos de forma proporcional aos inquiridos que expressaram sentido de voto. Os votos brancos e outros foram ajustados com base nos resultados das eleições de Setembro de 2009. O intervalo de confiança é de 95 por cento. A margem de erro de 3,45.

Notícias Relacionadas

  COMENTÁRIOS