PSD

Passos Coelho: «Até ao fim do ano» sabemos se cumprimos

O primeiro-ministro voltou ontem, no Conselho Nacional do PSD, a apelar à colaboração de todos os órgãos de soberania para que o país conclua o programa de assistência financeira.

Na intervenção inicial que fez no Conselho Nacional do PSD, Pedro Passos Coelho falou directamente no Tribunal Constitucional, órgão de soberania que já travou várias medidas do Governo.

O primeiro-ministro disse estar convicto de que Portugal tem condições para concluir o programa de ajustamento, mas voltou a referir os riscos constitucionais e disse que até ao fim do ano vamos saber se podemos ou não concluir o programa com sucesso.

Ideias repetidas depois pelo porta-voz do PSD, Marco António Costa, em declarações aos jornalistas.

«Era útil que todos os órgãos de soberania estivessem empenhados na conclusão do programa de assistência e para que Portugal possa sair desta situação», disse, sem referir o nome do Tribunal Constitucional.

«Todos os organismos, todos os órgãos em Portugal, todos os responsáveis políticos têm uma obrigação patriótica de estarem disponíveis para cooperar para garantir que cessa a situação de alguma tutela que a nossa soberania financeira tem vivido com a presença da troika», acrescentou.

  COMENTÁRIOS