Teixeira dos Santos

Preocupação do Governo foi assegurar que acordo «é de Portugal»

O ministro das Finanças afirmou que a preocupação do Governo na elaboração do acordo com a troika foi salvaguardar que o programa «é de Portugal» e não imposto de fora.

«Em primeiro lugar, o resultado devia ser um programa de Portugal, dos portugueses e não um programa imposto de fora para dentro ou que contrariasse a vontade política daqueles que têm a responsabilidade da governação ou dos que podem vir a ter essa responsabilidade», afirmou Teixeira dos Santos.

O ministro das Finanças falava na reunião da Comissão Permanente da Assembleia da República, perante a qual recordou o dia 23 de Março, em que foi «chumbado» o PEC4, a partir do qual disse terem-se «agravado» as condições de financiamento da economia.

«O agravamento dessas condições de financiamento tornou incontornável a necessidade de recorrer aos mecanismos de apoio financeiro disponibilizado no âmbito europeu, pelo fundo europeu de estabilização financeira, ao qual se associa também o financiamento através do FMI», justificou.

Como segunda «preocupação essencial» na elaboração do acordo com o BCE, FMI e Comissão Europeia, o ministro das Finanças apontou a necessidade de promover «o crescimento e o emprego».

Notícias Relacionadas

  COMENTÁRIOS