Política

Programa do PSD revela «impreparação», diz porta-voz do PS

O porta-voz do PS acusou o PSD de ter um programa eleitoral que revela «impreparação» e «incompreensão» face aos desafios do processo de consolidação orçamental.

Fernando Medina falava em conferência de imprensa, depois de o Conselho Nacional do PSD ter aprovado esta madrugada as linhas gerais do programa eleitoral com uma esmagadora maioria de votos favoráveis.

Na sua declaração inicial, o porta-voz do PS começou por acusar o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, de «continuar a fragilizar a imagem do país perante o exterior», advertindo que «a luta política deve ter limites».

Em relação às linhas gerais de programa eleitoral do PSD, Fernando Medina disse que esse documento provoca «surpresa, porque, ao fim de seis anos na oposição - e depois de abrir uma crise política de forma impensada -, o que se vê são anúncios de simples preparação de propostas».

«É pouco, muito pouco para quem tem a ambição de governar Portugal e mostra que o PSD não pensou quando abriu esta crise política e que o PSD não está preparado para governar o país num momento tão exigente como o actual», advogou.

O governante considerou ainda «demagógica» e de impossível concretização a proposta do PSD de transferir os fundos atribuídos aos grandes projectos de obras públicas para os afectar a programas sociais.

Sobre os juros da dívida soberana, que atingiram esta manhã novos máximos históricos, Fernando Medina reafirmou a tese de que «a culpa é da oposição».

  COMENTÁRIOS