Portugal

PS quer limitar ordenados dos gestores públicos aos do primeiro-ministro

O PS quer limitar o ordenado dos gestores públicos e das entidades reguladoras ao salário do primeiro-ministro, garante o vice-presidente do grupo parlamentar socialista, José Junqueiro.

Dentro de dias, os socialistas vão apresentar projectos-lei no Parlamento com o objectivo de limitar o ordenado dos gestores públicos e das entidades reguladoras ao salário do primeiro-ministro.

José Junqueiro lança o repto ao primeiro-ministro para criar um tecto para o vencimento dos gestores públicos: «quando quiser moralizar [Pedro Passos Coelho] deve deixar de olhar apenas para os políticos, mas deve olhar para o país na sua globalidade e ter esse entendimento da democracia», considera.

Entidades reguladoras, altos cargos públicos e gestores públicos devem ter um salário que não exceda o do primeiro-ministro, não deve haver acumulação de pensões vitalícias com rendimentos do sector privado, os gabinetes de apoio aos titulares dos cargos políticos devem ter o vencimento indexado aos titulares da pasta e devem apresentar declaração de rendimentos, defende ainda José Junqueiro.

Já tinha sido noticiada a intenção do Governo de impor limites aos vencimentos do sector empresarial do Estado. O PS também avança com a ideia. Em breve, promete o vice-presidente da bancada socialista, serão apresentados projectos de lei nesse sentido.

  COMENTÁRIOS