Guarda

Quem admite casamento "gay" pode aceitar uniões entre irmãos, diz deputado do PSD

O deputado do PSD Carlos Peixoto disse, esta sexta-feira, em declarações à Rádio Altitude, que quem admite um casamento homossexual pode também vir a aceitar o casamento entre irmãos, primos directos ou pais e filhos.

Em declarações à Rádio Altitude, Carlos Peixoto, deputado do PSD eleito pela Guarda, sustentou o voto contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, dizendo que fica aberta a porta ao incesto.

«Se estamos a admitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo, então também podemos admitir, pelo mesmo princípio, casamentos entre pais e filhos, entre primos direitos e irmãos», defendeu.

Ao admitir-se «este tipo de nova ligação, chegamos ao ponto quase surrealista de admitirmos soluções muito mais vanguardistas e perigosas até do ponto de vista da procriação», justificou Carlos Peixoto.

O social-democrata disse que apesar de ser contra os casamentos entre homossexuais, admite «poder vir a mudar de opinião», se o convencerem.

Confrontado pela TSF, o vice-presidente da bancada do PS, Ricardo Rodrigues, disse que estas declarações não merecem qualquer comentário.

Já Ana Catarina Mendes, deputada do PS, considerou que o parlamentar do PSD deve estar confuso.

Por seu lado, o deputado do PCP João Oliveira encarou as declarações do social-democrata como «um disparate» que «não faz sentido nenhum». «Esperamos que este argumento não seja usado na discussão» do projecto de lei sobre o casamento "gay", acrescentou.

O BE considera que as declarações do deputado do PSD nem merecem comentário.

Já o líder parlamentar do PSD prometeu para este sábado eventuais declarações sobre o assunto.

Notícias Relacionadas

  COMENTÁRIOS