Política

Secretário de Estado nega existência de relatório sobre transportes

O secretário de Estado dos Transportes disse, esta sexta-feira, que não existe qualquer relatório do grupo de trabalho que está a estudar a reestruturação dos transportes públicos.

Depois de o ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, ter dito que não valia a pena especular sobre o assunto, porque ainda não havia decisões tomadas neste assunto, Sérgio Monteiro afirmou, esta sexta-feira no Parlamento, que «não há nenhum relatório» do grupo de trabalho responsável pelo tema.

«Surpreende-me muito o conjunto de notícias que procuram condicionar o trabalho desse grupo que têm vindo a público e que só procuram criar ruído», acrescentou o secretário de Estado.

A TSF divulgou recomendações do grupo de trabalho em causa que constam do documento "Simplificação tarifária e reformulação da rede de transportes da área metropolitana de Lisboa", de 31 de Outubro, que foi entregue às autarquias.

O governante negou que exista já um documento final e frisou que o Governo não vai contribuir para aumentar o ruído.

«O grupo de trabalho tem de ter condições de isenção, tranquilidade e rigor para produzir as propostas que entender. Não há nenhuma proposta em cima da mesa e não está dada nenhuma orientação por parte do Governo relativamente à redução aqui ou ali», sublinhou.

Segundo Sérgio Monteiro, «o Governo entende que é na sede das autoridades metropolitanas, operadoras e autarquias que estas decisões» devem ser tomadas.

Esta quinta-feira, depois de divulgadas algumas das propostas que estariam em cima da mesa, várias autarquias da área metropolitana de Lisboa manifestaram desagrado com o que estaria a ser equacionado.

Foi o caso da presidente da Câmara de Almada, que contradiz agora Sérgio Monteiro, vincando que o documento existe e que «foi apresentado pelo grupo de trabalho no âmbito da autoridade metropolitana de transportes aos presidentes de câmara».

Maria Emília de Sousa mostra-se satisfeita por o secretário de Estado ter dito que o assunto não está fechado e espera que isso signifique que o Governo não vai avançar com as supressões.

Notícia actualizada às 23:16.

  COMENTÁRIOS