Política

Soares diz que Presidente da República não pode sacudir água do capote

Mário Soares sugere que o Presidente da República envie uma mensagem ao Parlamento ou chame os partidos a Belém porque estão em jogo superiores interesses nacionais.

No artigo de opinião semanal, que escreve para o Diário de Notícias, Mário Soares defende que neste momento o Presidente da República é a única pessoa que pode impedir a «catástrofe anunciada».

O antigo Presidente da República sublinha que Cavaco Silva conhece bem a realidade europeia, ainda por cima é economista, por isso não pode nem deve «sacudir a água do capote e deixar correr».

A dois dias da cimeira da União Europeia, Mário Soares questiona se será sensato acrescentar à crise económica uma crise politica que só vai enfraquecer a posição portuguesa em Bruxelas.

No artigo, Mário Soares apela directamente à intervenção de Cavaco Silva, assumindo que é um «apelo angustiado» feito em nome do que diz serem os «superiores interesses nacionais».

Mário Soares alerta que o Presidente da República tem ainda um ou dois dias para intervir, antes da cimeira europeia, e que deve enviar uma mensagem à Assembleia da República ou chamar os partidos a Belém, fazendo deste modo uso da magistratura de influência activa.

O antigo Presidente da República defende ainda que Cavaco Silva não pode permitir, em silêncio, que os partidos peçam de forma insensata eleições que vão paralisar a vida nacional nos próximos dois meses.

Se nada for feito, avisa Soares, «Portugal corre o perigo eminente de entrar em bancarrota».

Este não é, por isso, o momento para discutir a quem cabem as culpas do impasse criado mas sim para tratar do essencial, do problema que mais aflige o povo português: como sair da crise financeira e económica.

Notícias Relacionadas

  COMENTÁRIOS