Saúde

Ministério quer de volta às urgências médicos mais velhos

Os médicos com mais de 50 anos podem ser obrigados a voltar às urgência noturnas. Em troca, o ministério oferece um suplemento adicional de 600 euros por 18 horas de urgência por semana.

Esta proposta, que já tinha sido defendida pela antiga ministra da Saúde Ana Jorge, já foi apresentada aos sindicatos.

Nesse sentido será um dos pontos a ser discutido nas negociações entre o ministério e os sindicatos, diz o Diário de Notícias (DN), mas que desde já não agrada aos clínicos.

A Federação Nacional dos Médicos (FNAM), citada pelo DN, diz mesmo que se trata de um retrocesso nas negociações das carreiras que deviam estar concluídas no final deste mês.

Para já não se sabe se a intenção é acabar apenas com a dispensa de fazer urgência noturna aos 50 anos ou de todo o tipo de urgência a partir dos 55.

A ideia pode ainda passar por alterar as idades mínimas, mas seja qual for o cenário está a provocar algumas reservas.

A alteração pode vir a afetar mais de dez mil médicos que trabalham nos hospitais. O ministério pretende assim reduzir o número de contratados e o pagamento de horas extraordinárias.

A FNAM adianta ao DN outra proposta que receberam do Governo e que passa por todos os clínicos passarem a fazer 18 horas de urgência por semana (mais seis do que as atuais 12 horas) e receberem por isso um suplemento de 600 euros.

  COMENTÁRIOS