TSF

  • Menu
  • Em Directo
saúde

Pílulas anticoncepcionais e três vacinas deixam de ser comparticipadas

Em nome da poupança, vão deixar de ser comparticipadas pelo Estado as pílulas anticoncepcionais e três vacinas, entre elas a que previne o cancro do colo do útero.

PUB

Mais caras vão ficar as vacinas contra o vírus do papiloma humano, que previne o cancro do colo do útero, da hepatite B e também contra o hemophilus tipo B, uma bactéria que provoca meningite e pneumonia.

No que diz respeito, por exemplo, à vacina contra o cancro do colo do útero, as portuguesas vão ter de gastar mais cerca de 50 euros. A vacina Cervarix passa a custar 127 euros, em vez dos actuais 80 euros.

Também as pílulas deixam de ser comparticipadas pelo Estado. Por exemplo uma pílula que custa actualmente 5,57 euros, passa para os 18 euros a partir do mês de Outubro.

Está ainda previsto um corte na comparticipação dos medicamentos para os asmáticos de 69 para 37 por cento.

Estes cortes fazem parte de um pacote para reduzir o défice no sector da Saúde, mas o ministério garante ao jornal Público que as pílulas e as vacinas que fazem parte do programa nacional de vacinação vão continuar a ser disponibilizadas gratuitamente nos Centros de Saúde.

  COMENTÁRIOS