Saúde

TC critica despesismo injustificado na Saúde

Em mais uma auditoria, o Tribunal de Contas (TC) volta a falar em desperdícios na Saúde, criticando os cerca de 150 mil euros de prémios pagos a três directores do SUCH.

Prémios pagos por objectivos que não se cumpriram, 25 carros distribuídos para fins não apenas profissionais, tudo somado 154 mil euros gastos pelo Serviço de Utilização Comum dos Hospitais (SUCH).

Contas feitas pelo Tribunal de Contas, que classifica os bónus atribuídos de «despesismo injustificado» por estarem associados à cobrança de dívidas quando estas são quase sempre pagas e porque em 2007 foram pagos incentivos aos directores comerciais, apesar de não terem sido alcançados os objectivos que estavam no contrato.

A auditoria do TC mostra que só em dois anos, 2007-2008, estes três directores comerciais do SUCH receberam em prémios quase 130 mil euros, mais de 11 mil euros foram pagos a outros colaboradores e o trabalhador do ano, já antes premiado, recebeu mais de 12 mil euros.

São valores, sentencia o Tribunal de Contas, que não contribuem para a sustentabilidade do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Mas os números não ficam por aqui. Foram distribuídas 25 viaturas a administradores e colaboradores para fins que não exclusivamente profissionais, com valores de renting mensais que podem chegar aos 1150 euros, e pagas despesas de representação 14 vezes por ano, o que contraria a lei.

No documento pode ainda ler-se que situações destas contribuíram para a deterioração da situação económico-financeira do SUCH, que apresentou resultados líquidos negativos de 4,4 milhões de euros em 2008 e de 5 milhões em 2009.

Recorde-se que este serviço nasceu em 1965 para obter o melhor rendimento económico dos hospitais.

  COMENTÁRIOS