Sociedade

"Os oceanos estão a precisar de um novo campeão"

Tiago Pitta e Cunha, da Fundação Oceano Azul, diz que é preciso alguém que consiga mobilizar a população e os grandes decisores para a urgência de salvar os oceanos.

Entre os anos 40 e 80, Jacques Cousteau trouxe os oceanos à superfície. As famosas expedições do explorador francês deram a conhecer ao mundo os mistérios do mar. A história de Cousteau chega esta quinta-feira aos cinema portugueses, com o filme A Odisseia.

Tiago Pitta e Cunha, presidente da comissão executiva da Fundação Oceano Azul, defende que nos dias de hoje, o planeta está a precisar de um novo herói do mesmo calibre. E é isso que a Fundação Oceano Azul trabalha para ser.

Lançada em março deste ano pela Sociedade Francisco Manuel dos Santos, a fundação tem como objetivo a sensibilização para a sustentabilidade dos oceanos. A Oceano Azul quer incentivar a população a uma mudança de comportamentos no dia-a-dia e os grandes decisores a uma exploração ecológica dos mares - uma economia azul.

Os projetos da fundação, que detém a concessão do Oceanário de Lisboa, passa por áreas como a promoção da literacia marítima, o financiamento de programas científicos para a preservação de espécies marinhas, o estabelecimento de áreas protegidas ou a criação de redes de pesca sustentáveis. Para isso conta com um orçamento anual de 5,5 milhões de euros.

A Fundação está representada na Conferência Mundial do Oceano das ONU, que decorre em Nova Iorque até 9 de junho. 193 países estão reunidos para desenhar o futuro dos oceanos.

  COMENTÁRIOS