Sociedade

Morreu Maryam Mirzakhani, a primeira mulher com o maior prémio da matemática

A matemática iraniana foi primeira mulher distinguida com a Medalha Fields, o mais prestigiado galardão nesta disciplina científica. Morreu aos 40 anos, de cancro, nos Estados Unidos.

"Uma luz apagou-se hoje. Partiu-se-me o coração... partiu muito cedo", escreveu Firouz Michael Naderi, cientista americano-iraniano, que fez parte dos quadros da agência espacial norte-americana NASA, na sua conta nas redes sociais Twitter e Instagram, na madrugada de hoje.

"Um génio? Sim, mas também uma filha, uma mãe e uma esposa", prosseguiu o cientista, que colocou uma fotografia a preto e branco de Maryam Mirzakhani.

Segundo a imprensa iraniana, Maryam Mirzakhani morreu "de cancro num hospital dos Estados Unidos".

Nascida em 1977, Maryam Mirzakhani tornou-se em 2014 a primeira mulher a receber a Medalha Fields, considerado o "Nobel" da disciplina.

Professora na Universidade norte-americana de Stanford, especialista em geometria de formas incomuns, descobriu novas fórmulas de calcular o volume de objetos com superfícies hiperbólicas, como uma sela de cavalo.

"Com um conhecimento profundo de uma gama diversificada de técnicas matemáticas e culturas díspares matemáticas, ela domina uma rara combinação de ambição técnica audaciosa e uma curiosidade profunda", escreveu o Congresso Internacional de Matemáticos (ICM) quando anunciou a sua distinção.

Na ocasião, a cientista iraniana afirmou que era "uma grande honra" e que ficava "feliz", pois a distinção recebida incentivaria as jovens cientistas e matemáticas".

  COMENTÁRIOS