Caixa Geral de Depósitos

CGD: milhares de clientes começam a pagar comissão de conta. Mas há exceções

Apenas quem tem mais de 65 anos e uma pensão ou reforma inferior a 835,50 euros (corresponde a uma vez e meia o salário mínimo nacional) vai continuar a beneficiar de uma isenção.

Os clientes da Caixa Geral de Depósitos, até aqui isentos da cobrança de comissões de conta, vão passar a pagar 4,95 euros por mês, revela esta segunda-feira o Público.

O diário revela que no caso dos reformados e pensionistas, apenas quem tem mais de 65 anos e uma pensão ou reforma inferior a 835,50 euros (corresponde a uma vez e meia o salário mínimo nacional) vai continuar a beneficiar de uma isenção. Todos os outros passam a pagar. Significa que mesmo que um pensionista tenha uma pensão muito abaixo dos 835 euros, mas se ainda não tiver 65 anos, ser-lhe-á cobrada uma comissão.

Há sempre uma alternativa, sublinha o jornal, pois o cliente pode aderir ao Conta Caixa S, M, L. Na prática, o cliente paga em função do número de produtos contratualizados. Por exemplo, se só tiver um cartão de débito paga 30 euros por ano, com a obrigatoriedade de domiciliar a pensão ou reforma.

Esta é outra novidade. Até aqui, a domiciliação do vencimento ou outro tipo de rendimento dispensava os cliente do pagamento de comissões de conta, o mesmo acontecendo para quem tinha um património financeiro acima de 5000 euros. A partir de setembro tudo muda. Estes clientes vão passar a pagar as tais comissões exceto se subscreverem um cartão de débito e crédito, com utilização obrigatória pelo menos uma vez por mês. Neste caso não paga a comissão de conta mas terá de pagar a anuidade dos cartões que corresponde, no mínimo, a 18 euros cada um.

  COMENTÁRIOS