Sociedade

Esforço de comer bem deve estar centrado nas famílias

O diretor do programa de alimentação saudável espera que as famílias comecem a comer melhor com o atenuar da crise. A coordenadora do estudo da OMS diz que a comida deve ser saudável e apetecível.

O diretor do programa de alimentação saudável espera que as famílias portuguesas comecem a comer melhor, com o atenuar da crise.

Ouvido pela TSF, a propósito dos resultados de um estudo da OMS sobre obesidade, Pedro Graça admite que as dificuldades económicas estiveram na origem da degradação dos hábitos alimentares dos portugueses. O estudo coloca Portugal no top 5 dos países com mais adolescentes obesos.

Pedro Graça sublinha que o combate ao fenómeno da obesidade entre as gerações mais novas até está a ser ganho mas reconhece que é difícil chegar aos adolescentes, até pela maior liberdade que têm para escolher o que comem.

Para aquele responsável, a responsabilidade de comer bem não deve imputada apenas às escolas. Este é o momento de as famílias também olharem para si próprias e questionarem-se até que ponto estão ou não a promover hábitos alimentares saudáveis", adiantou aquele responsável.

Pedro Graça faz, por isso, um apelo às famílias, para que invistam numa alimentação mais saudável: "Espero que com esta crise a passar, as famílias portuguesas possam colocar a alimentação no vento das suas atenções e não continuar a despender tão pouco dinheiro na alimentação. Se nós achamos que a alimentação condiciona a nossa vida e a nossa saúde, também temos de investir nela".

A coordenadora da parte portuguesa do estudo da OMS é a investigadora Margarida Gaspar de Matos. Ouvida pela TSF, a investigadora defende que a comida não deve ser apenas saudável, mas também atrativa.

  COMENTÁRIOS