Incêndios

Fogo de Alijó às portas da aldeia de Santa Eugénia

O incêndio que começou na madrugada de domingo em Alijó, distrito de Vila Real, chegou à aldeia de Santa Eugénia e algumas pessoas foram retiradas de casa por precaução.

Contactado pela TSF, o presidente da câmara municipal de Alijó, confirmou que "a aldeia de Santa Eugénia foi fortemente ameaçada, viveu-se uma situação de pânico. Neste momento, os esforços estão todos concentrados lá. Julgo que as casas estão já livres de perigo. (...) Eu estou no posto de comando, já saí lá da aldeia, mas assisti ao momento de pânico daquela população. Todos colaboraram, evacuou-se quem tinha de se evacuar".

Carlos Magalhães informou que houve "vários reacendimentos devido ao aumento da temperatura e ao aumento da velocidade do vento, que tomou uma direção diferente, de forma que foi necessário reposicionar toda a equipa de combate noutros locais".

O responsável pelas operações no terreno, Pedro Duarte, especificou à agência Lusa que foram retiradas de habitações em Santa Eugénia cinco pessoas, mas a aldeia "nunca esteve em perigo".

Segundo o comandante operacional, numa "zona mais próxima da frente de fogo, três pessoas foram retiradas de uma habitação que serve de acolhimento a idosos" e foram encaminhadas para o pavilhão municipal de Alijó. Ao mesmo tempo que, numa outra área, e por uma questão de "prevenção", duas pessoas residentes "numa zona rural foram deslocadas para o centro da aldeia".

De acordo com informações disponibilizadas pelas 14h na página da Internet da Proteção Civil, o fogo em Alijó, na freguesia de Vila Chã, está a ser combatido por 436 homens, 132 viaturas e nove aeronaves.

  COMENTÁRIOS