Incêndios

Marcelo: "O balanço é genericamente mais positivo do que aquilo que esperava"

Em Góis, no posto de comando, o presidente da República disse ter perspetivas "mais favoráveis" sobre evoluir dos incêndios. Ministra da Administração Interna diz que "ainda há muito por fazer".

Depois de passar por Avelar, Ansião, Figueiró dos Vinhos, Cernache do Bonjardim e Penela, o presidente da República foi até ao posto de Comando de Góis, instalado na localidade de Chã de Alvares, onde teve um pequeno briefing com a Proteção Civil.

No final, após receber as últimas atualizações - e juntando a essa informação aquilo que foi vendo durante esta segunda-feira -, Marcelo Rebelo de Sousa mostrou-se razoavelmente satisfeito com o evoluir da situação, sublinhando que o cenário é melhor do que perspetivava.

"O balanço é genericamente mais positivo do que aquilo que esperava", disse o chefe de Estado, adiantando que quando ao início da tarde partiu de Avelar as perspetivas eram "menos favoráveis do que aquilo que acabámos por ouvir e prever".

MAI está otimista, mas diz que "há muito por fazer"

Com o presidente que, por volta das 19h, seguiu para a zona da Pampilhosa da Serra, está também Constança Urbano de Sousa, que deu conta de uma situação "difícil" da propagação do incêndio de Góis para a zona da Lousã.

A ministra da Administração Interna disse, no entanto, estar "mais animada" com o evoluir do combate a esse incêndio, apesar de sublinhar que "ainda há muito por fazer".

"As coisas estão mais controladas, espero também que a meteorologia nos ajude, que não haja mudança de ventos, sobretudo de sul para norte, porque isso iria redirecionar os fogos", acrescentou, antes de deixar uma palavra de agradecimento aos operacionais, às populações, às autarquias e a todos os que estão envolvidos no combate. "Vamos manter-nos unidos", rematou.

  COMENTÁRIOS