Pedrogão Grande

Meteorologia tem uma explicação para fogo de Pedrogão

Um fenómeno climatérico extremo estará na origem da propagação do fogo de Pedrogão, responde o Instituo Português do Mar e da Atomosfera (IPMA) a António Costa.

Numa carta enviada para o Primeiro-ministro, e à qual a TSF teve acesso, o IPMA explica "no que diz respeito às condições excecionais que determinaram situações no terreno de excecional gravidade, estamos convictos que foram o resultado da conjugação da dinâmica do próprio incêndio e dos efeitos da instabilidade atmosférica, gerando 'downburst'"

O 'downburst' é vento de grande intensidade que se move verticalmente em direção ao solo, que após atingir o solo sopra de forma radial em todas as direções. O IPMA adianta que "este fenómeno é por vezes confundido com um tornado, e tem um grande impacto em caso de incêndio florestal por espalhar fragmentos em direções muito diversas".

De acordo com as informações já recolhidas pelo IPMA, "o desencadeamento e/ou a propagação do incêndio poderão ter sido amplificados pela conjugação dos fatores descritos, e a importância excecionalmente elevada de efeitos locais relacionados com fenómenos de convecção atmosférica associados à humidade muito reduzida, e a dinâmica induzida pelo próprio incêndio".

Devido a esta situação tão "complexa e excecional" é preciso fazer mais estudos aprofundados e por isso "foi já nomeada uma comissão coordenada pelo Dr. Nuno Moreira, Chefe de Divisão de Previsão. Este estudo está a ser realizado no IPMA, e quando estiver terminada será de imediato enviado", ao gabinete do Primeiro-ministro.

  COMENTÁRIOS