Incêndios

Ministro do Ambiente destaca "redução significativa" da área ardida este ano

João Matos Fernandes diz que "descontado o dia de ontem [domingo]", a época de incêndios tem sido "muito mais benigna" do que seria esperado.

O ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, reconheceu esta segunda-feira que, no domingo, aconteceu "um número invulgar de incêndios" no país, mas preferiu destacar a "redução muito significativa" da área ardida este ano, em comparação com "anos anteriores".

"Lamentamos e muito, evidentemente, a existência desses mesmos incêndios. Queremos acreditar que dias como o de ontem [domingo] não se voltarão a repetir", disse o ministro, questionado pelos jornalistas sobre os fogos deste fim de semana.

Mas, "sobretudo", o ministro do Ambiente disse não poder "deixar de sublinhar aquilo que tem sido uma redução muito significativa da área ardida" em Portugal, este ano, quando "comparada com os anos anteriores", e a "muito grande capacidade de poder agir quando os incêndios deflagram".

Segundo João Matos Fernandes, que falava aos jornalistas na área de serviço de Aljustrel da Autoestrada do Sul (A2), é preciso "continuar a prevenir" e "a reforçar os meios" em matéria de incêndios, para "quando acontece um número invulgar" de ocorrências "no mesmo dia e num dia também excecionalmente quente", como o do último domingo.

O ministro do Ambiente, que inaugurou esta segunda-feira o primeiro corredor de carregamento rápido para veículos elétricos da rede MOBI.E, afirmou que, este ano, "descontado o dia de ontem", a época de incêndios tem sido "muito mais benigna" do que aquilo que era "a expectativa inicial".

"Isso significa o quê? Uma grande capacidade para intervir, uma grande coordenação de meios, uma grande disponibilidade para quem está no terreno, tanto a coordenar, como a apagar os incêndios", elogiou.

No que respeita às áreas protegidas em Portugal, o governante que tutela a pasta do Ambiente referiu que já foram palco, este ano, de "dois incêndios com alguma expressão".

"Expressão mais temporal do que territorial", explicou, aludindo ao incêndio na Peneda/Gerês, o qual "só foi extinto hoje de manhã", e ao fogo registado em Manteigas (Guarda), que atingiu o Parque Natural da Serra da Estrela.

Neste âmbito, o ministério, argumentou, tem feito "um trabalho crescente" para "uma maior proximidade no terreno".

"E, sem dúvida, que a contratação de vigilantes da natureza que está prevista para o final deste ano é da maior importância para podermos estar ainda mais perto do território", afiançou João Matos Fernandes.

No domingo quase três mil bombeiros foram mobilizados para o combate a mais de cem incêndios em todo o país, apoiados por 28 meios aéreos e mais de 700 meios terrestres, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Às 12h de hoje a ANPC indicava que estavam ativos em todo o país 102 incêndios, com o auxílio de 2.361 operacionais, 695 meios terrestres e 24 meios aéreos.

  COMENTÁRIOS