Sociedade

Uma freira no Curdistão Iraquiano

O jornalista Manuel Vilas Boas conversou com uma freira que está no Curdistão Iraquiano, no Serviço Jesuíta aos Refugiados.

Tem a música como cultura, música que estudou em Viena de Áustria, deixando para trás um curso de Economia, em Évora. Mais tarde, aos 34 anos, ingressou na Congregação das Escravas do Coração de Jesus.

Nascida em Lisboa, seria no Porto que iria presidir à direção de um dos mais distintos colégios do norte do país.

Mas o que determinou a vida desta mulher foram as missões no estrangeiro: Camarões, Timor, Ruanda, República Democrática do Congo e, agora no Curdistão Iraquiano, no Serviço Jesuíta aos Refugiados.

  COMENTÁRIOS