Saúde

Gomes da Silva comeu mioleira e aplaude alheira ao almoço do Diretor-Geral da Saúde

São imagens que valem mais do que qualquer discurso. Fernando Gomes da Silva, o ministro de António Guterres que comeu mioleira no Luxemburgo em plena crise das vacas loucas, considera que a ida do diretor-geral de saúde a Mirandela, para comer alheira, é um gesto acertado.

A notícia apanhou de surpresa Fernando Gomes da Silva. Manhã cedo, quando ouviu a intenção de Francisco George ir a Mirandela comer alheira depois do registo de alguns casos de botulismo, a viagem no tempo foi inevitável. Recuou até ao ano de 1996.

"Pensei logo, afinal não sou só eu que como mioleira para mostrar que não há problemas e não há medos".

Fernando Gomes da Silva foi ministro da agricultura de António Guterres em plena crise das vacas loucas. Comeu mioleira no Luxemburgo para passar uma mensagem muito clara. "O que eu tentei mostrar foi que em situações isentas de doença não havia qualquer risco".

Se fosse hoje faria tudo igual. Fernando Gomes da Silva lamenta que na altura, o sentido pedagógico do seu gesto se tenha perdido. "Eu tenho sérias dúvidas que as pessoas tenham percebido. Naquele momento, a histeria era tão grande que as pessoas viviam num pânico absoluto".

O almoço em Mirandela, com uma alheira na ementa é uma imagem, que na opinião de Fernando Gomes da Silva, vai ser mais forte que qualquer discurso por parte do Diretor-Geral da Saúde. "O gesto é muito importante. O que ele vai dizer é que o problema está restrito a uma fabricação, por isso não há perigo".

Um almoço para o qual não recusaria convite. Fernando Gomes da Silva está convicto da segurança que Francisco George quer transmitir, além de gostar do petisco.

  COMENTÁRIOS