Parlamento

Ainda é cedo para declarar estado de seca, defende Assunção Cristas

No Parlamento, a ministra da Agricultura disse, esta tarde, que sendo uma pessoa de fé, vai continuar à espera que chova, defendendo que ainda é cedo para pedir ajuda a Bruxelas.

O cenário de seca foi um dos temas abordados, esta tarde, pela comissão parlamentar de agricultura.

A ministra Assunção Cristas reiterou que ainda é cedo para declarar estado de seca, até pela falta de argumentos para, posteriormente, pedir ajuda à União Europeia.

«Devo dizer que sou uma pessoa de fé, esperarei sempre que chova e esperarei sempre que a chuva nos minimize alguns destes danos. Como é evidente, quanto mais depressa vier, mais minimiza, quanto mais tarde, menos minimiza. Se não vier de todo, não perderei a minha fé, mas teremos obviamente de actuar em conformidade», afirmou.

Nesse sentido, a ministra da Agricultura disse que mantém a fé de que há-de chover.

Assunção Cristas confirmou aos deputados que, por enquanto, não vai avançar com nenhum pedido de ajuda a Bruxelas. A ministra quer reunir mais dados, esclarecendo que não pode pedir ajuda apenas com base em percepções de que há seca.

«Neste momento a situação ainda não atingiu os níveis de gravidade de 2005, ainda estamos um bom pedaço longe disso, mas como é evidente preocupa-nos. Não sou, nunca serei, alarmista. Procuro olhar para as coisas de uma forma séria, rigorosa, e não decidir com base em percepções», explicou.

«Não posso chegar a Bruxelas e pedir adiantamentos disto ou daquilo sem ter um levantamento rigoroso das situações e sem apresentar dados objectivos», acrescentou Assunção Cristas.

  COMENTÁRIOS