Artes

Actriz Glicínia Quartim homenageada com placa no prédio onde viveu

A actriz Glicínia Quartin, falecida em 2006, foi hoje homenageada com a colocação de uma placa no prédio onde viveu, no bairro de Campo de Ourique, e brevemente será dado o seu nome a uma rua de Lisboa.

Os encenadores Luis Miguel Cintra, Filipe La Féria e Carlos Avilez foram alguns dos colegas e amigos que hoje se reuniram no nº 107 da rua Saraiva Carvalho para recordar e elogiar a actriz, que faleceu aos 80 anos.

«Das centenas de pessoas que eu já trabalhei no teatro, talvez seja das mais importantes. Era amigo e confidente dela. Fiz muitas peças, ri e aprendi muito com ela», disse La Féria à agência Lusa, acrescentado que Glicínia Quartin «era uma actriz de excepção».

Para o encenador, a actriz foi uma das «mais coerentes do século XX do teatro português».

La Féria congratulou-se com o facto de a Câmara de Lisboa ter tambem já decidido dar o nome de Glicínia Quartin a uma rua da capital, já que a actriz era «uma profunda conhecedora da cidade».

A actriz esteve na origem do Teatro Experimental de Cascais e do Teatro Estúdio de Lisboa, onde interpretou Lorca, Torga, Rattingan e André Brun em encenações de Avilez e Luzia Maria Martins, refere a mesma nota.

Foi uma das fundadoras d'Os Bonecreiros e do Teatro da Cornucópia e professora da Escola de Teatro.

Como intérprete integrou elencos que estrearam peças de Luís Francisco Rebello, Augusto Sobral e Salazar Sampaio.

  COMENTÁRIOS