TSF

  • Menu
  • Em Directo
literatura

Saramago homenageado hoje no México

A leitura encenada de excertos de "Ensaio sobre a Cegueira", "Memorial do Convento" e "As Intermitências da Morte" decorre hoje na Cidade do México, numa homenagem a José Saramago.

PUB

A cerimónia -- durante a qual será lido um texto inédito do escritor português sobre Maria Madalena -- conta com a participação da viúva do escrito, Pilar del Río, e da actriz e ativista social Ofelia Medina, da jornalista e activista de direitos humanos Lydia Cacho, da soprano mexicana Lourdes Ambriz, da cantora de rock Ely Guerra e das atrizes de teatro e cinema Irene Azuela e Clarissa Malheiros.

A homenagem ao autor falecido a 18 de junho de 2010, vencedor do Prémio Nobel da Literatura em 1998, decorre no Palácio das Belas Artes, na capital mexicana.

A direção é de António Castro, o cenário de Mónica Raya e o desenho de luzes de Victor Zapatero.

António Castro dirigiu José Saramago e o ator Gale García Bernal no espetáculo "As Intermitências da Morte", que foi apresentado em 2006 no Teatro Diana de Guadalajara, durante a Feira Internacional do Livro.

Em declarações à agência Efe, Pilar del Río disse que o livro "Ensaio sobre a Lucidez", de José Saramago, antecipou o que está a passar-se em alguns países árabes, onde o povo conseguiu derrubar ditadores.

Editado em 2004, "Ensaio sobre a Lucidez" narra a história de um povo que decide votar em branco nas eleições municipais, provocando as suspeitas e o termos de uma rebelião do governo no poder.

Pilar del Río referiu-se a uma fragmento do texto em que os cidadãos permanecem durante alguns doas na principal praça da cidade conseguindo derrubar um governador e quando regressam à vida quotidiana organizam-se e limpam o lugar.

  COMENTÁRIOS