emigração

Emigrantes portugueses são «ostracizados» no Luxemburgo

O Presidente da Confederação da Comunidade Portuguesa no Luxemburgo denuncia que tanto os emigrantes da primeira como os da segunda geração são ostracizados no país.

«A comunidade portuguesa, devido ao seu número mas também devido à sua capacidade económica no Luxemburgo, tem sido ostracizada já há bastante tempo. Não estamos simplesmente a falar da primeira geração mas também da segunda geração. A prova disso é que, a vários níveis, tem sido muito difícil as pessoas singrarem, terem alguma importância na sociedade luxemburguesa», afirma José Coimbra Matos.

O Presidente da Confederação da Comunidade Portuguesa espera, por isso, que as autoridades ouçam o apelo do arcebispo do Luxemburgo, Jean-Claude Hollerich, que, na segunda-feira, alertou em Fátima para a marginalização dos portugueses.

O arcebispo do Luxemburgo também pediu aos emigrantes portugueses que ajudem a nova geração que está a chegar ao país.

José Coimbra Matos diz que não é fácil conseguir trabalho, mas a comunidade ajuda sempre quem decide mudar de país e apela às autoridades para que vejam a comunidade portuguesa como parceira e não como concorrência.

  COMENTÁRIOS