Colômbia

Mulher viveu mais de 40 anos com feto fossilizado no abdómen

Uma mulher, de 84 anos, viveu mais de 40 anos com um feto fossilizado no abdómen. Agora, esta colombiana vai passar por uma cirurgia delicada para retirar o "bebé de pedra", adianta o jornal El tiempo.

Esta mulher que vive em Bogotá foi para o hospital com dores de cabeça e depois de um raio X chegou-se a este diagnóstico improvável. Ela viveu durante mais de 40 anos com um feto fossilizado de 32 semanas no corpo.

Apesar desta história ser surpreendente, não é inédita. Este fenómeno denominado litopédio é raro, mas de acordo com estudos médicos pode surgir um caso destes em 20 mil gravidezes.

A situação pode acontecer devido a uma gravidez ectópica, ou seja uma gravidez que fica inviabilizada porque não ocorre no útero como deveria, mas no abdómen. O feto poderá não ser totalmente expelido pelo corpo, começa a calcificar e pode fossilizar.

Este é o segundo caso no país, segundo o jornal El Tiempo, depois do caso de uma mulher de 72 anos que afoi descoberto no ano 2000.

  COMENTÁRIOS