Poesia

Recordar Ary dos Santos, falecido há 30 anos (videos)

José Carlos Pereira Ary dos Santos faleceu aos 46 anos, no dia 18 de janeiro de 1984.

O poeta José Carlos Ary dos Santos, falecido há 30 anos, é autor, entre outros, de "Desfolhada Portuguesa", "Um Homem na Cidade", "Os putos", "Tourada", "Alfama" e "Lisboa menina e moça".

Sobre Ary dos Santos, o atual presidente da Sociedade Portuguesa de Autores, José Jorge Letria, fala num poeta que se cumpria nas palavras ditas, nos comícios, na partilha de emoções com o público.

O produtor musical QuimZé Lourenço, que recentemente realizou um espetáculo com base nas cantigas de Ary dos Santos, ouvido pela agência Lusa, diz que o poeta «fez canções como nenhum outro, sem perder o lirismo e a sofisticação das palavras e conseguiu chegar às massas».

Fernando Tordo foi dos artistas que mais canções cantou e musicou de Ary dos Santos, cerca de cem poemas, dos quais se destacam «Cavalo à solta», «Carta de longe», «Tourada» e «Minha laranja amarga e doce».

Amália Rodrigues, Simone de Oliveira, Maria Armanda, Vasco Rafael, Paulo de Carvalho, Samuel, Teresa Silva Carvalho, Tonicha, Beatriz da Conceição, Luísa Basto foram alguns dos artistas que interpretaram letras de Ary dos Santos, assim como Carlos do Carmo, de quem foi amigo e com quem teve um projeto discográfico, do qual se destaca o álbum "Um Homem na Cidade".

Hoje vários sãos os intérpretes que têm recriado as suas letras como, entre outros, Mariza, Camané, Pedro Moutinho e Mayra de Andrade.

Ary dos Santos foi criativo na agência de publicidade Espiral, e militante ativo do Partido Comunista Português, ao qual, entre outras, dedicou a poesia "Cravo de Abril". O PCP é, aliás, o detentor do espólio do poeta.

Por quatro vezes venceu o Festival RTP da Canção, um dos certames de maior popularidade nas décadas de 1960 e 1970, com as canções "Desfolhada", por Simone de Oliveira, em 1969, "Menina do alto da serra", por Tonicha, em 1971, "Tourada", por Fernando Tordo, em 1973, e "Portugal no coração", pelo grupo Os Amigos, em 1977.

  COMENTÁRIOS