Iraque

Treinador de bombistas suicidas explode alunos por engano

Um grupo de 22 militantes iraquianos ligados à al-Qaeda morreu na segunda-feira quando o professor realizou uma demonstração com um cinto cheio de explosivos. O acidente aconteceu em Samarra, a norte de Bagdad, e provocou ainda 15 feridos.

O jornal The New York Times conta que o grupo de extremistas conhecidos como Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIS), grupo ligado à al- Qaeda, assistia a uma aula de treino para atentados suicidas quando tudo aconteceu.

Numa demonstração, o professor, que não foi identificado, usou um cinto com explosivos quando acidentalmente se fez explodir. Para além do professor, morreram 22 alunos e 15 ficaram feridos. O professor foi descrito pelas autoridades como um especialista em treino e recrutamento.

A explosão chamou a atenção das autoridades que descobriram no acampamento no nordeste da cidade de Samarra, a norte de Bagdad, armazéns de explosivos e armas. Os alunos que sobreviveram foram detidos.

No início de fevereiro, militantes deste grupo invadiram as cidades de Fallujah e Ramadi, na província de Anbar, com armamento pesado, e assumiram o controlo de vias de acesso e escritórios de autoridades locais.

Segundo a France Press, o presidente do parlamento iraquiano, Oussama al-Nujaifi, que passava de carro naquele local, escapou por pouco, mas um dos seus guardas ficou ferido.

A mesma agência de notícias avançou que o grupo estaria a fazer um vídeo de propaganda com um dos elementos do grupo, que seria o condutor do camião armadilhado, e que também morreu na explosão. Terá sido um problema técnico da câmara que provocou a explosão, segundo um chefe local das milícias Sahwa, citado pela France Press.

  COMENTÁRIOS