TSF

Cogumelos mágicos: a droga recreativa mais segura

Mais do que a canábis, o LSD ou a cocaína, os cogumelos mágicos são a droga recreativa mais segura. Mas desengane-se quem pensa que alguma destas faz bem.

O Global Drug Survey deste ano, um estudo no qual participaram cento e vinte mil pessoas espalhadas por 50 países do mundo conclui que os cogumelos alucinogénicos são a substancia que menos pessoas atiram para o hospital.

Das 12 mil pessoas que admitiram, no estudo, ter consumido em 2016 cogumelos mágicos, apenas 0,2% sentiram necessidade de recorrer às urgências hospitalares. Trata-se de uma taxa cinco vezes mais baixa do que a de outras drogas comuns como o Ectasy, LSD e cocaína.

Dados que levam Adam Winstock, psiquiatra especialista em adições e fundador do Global Drug Survey a dizer que "os cogumelos mágicos são uma das drogas mais seguras do mundo". Ele sublinha até que o maior risco é o das pessoas colherem os cogumelos errados. "Morte devido à potência do alucinogénico é algo que nunca foi relatado. Envenenamento por cogumelos perigosos apresenta um risco bastante superior em termos de danos para a saúde".

Para este estudo anual contribuíram quase 120 mil pessoas que responderam a questões que iam desde o tipo de drogas que tomaram, a frequência do uso e se sentiram algum efeito negativo dessa experiência.

Das 28 mil pessoas que disseram terem tomado cogumelos mágicos pelo menos uma vez na vida, quase 82% sentiram "efeitos psicadélicos moderados" e "a melhoria de interações sociais e ambientais".

De todas, o álcool é a droga recreativa mais usada, quase 99% das pessoas que responderam ao inquérito disseram já o ter experimentado. Depois vem a canábis (77%) e o tabaco (63%).

Quanto às drogas mais perigosas, ou seja, aquelas que obrigaram a uma ida às urgências, o álcool cai para terceiro (1,1%), a canábis (a segunda droga mais usada em todo o mundo) é a oitava em termos de percentagem de idas ao hospital. No desonroso topo dessa tabela, estão as metanfetaminas.

Quase cinco por cento das pessoas que tomam esta droga acabam no hospital.

A segunda droga mais perigosa é a canábis sintética. Segundo este estudo, a coisa não corre bem em 3.2% dos casos. Mas aqui os números crescem e chegam aos 10% de urgências entre aqueles que admitem fumar canábis sintética o ano inteiro pelo menos uma vez por semana.