Óbito

Morreu Franck Pourcel

O chefe de orquestra francês Franck Pourcel, um dos reis da música ligeira das décadas de 50-60, morreu durante a noite, aos 87 anos, na sua casa em Neuilly, nos arredores de Paris, vítima da doença de Parkinson.

Nascido a 14 de Agosto de 1913, em Marselha, Franck Pourcel era um dos músicos franceses mais conhecidos no estrangeiro, onde as suas gravações de grandes orquestras de violinos eram um estrondoso êxito nos Estados Unidos e no Japão.

Violonista por formação, criou a sua primeira orquestra em 1953 e as «suas cordas» popularizaram-se rapidamente, devido aos programas televisivos de variedades.

Após dois primeiros sucessos, «Blue Tango» e «Limelight», Pourcel grava o êxito dos Platters «Only You», dois anos depois da sua subida.

Foi um triunfo: venderam-se mais de três milhões de discos e ele tornou-se no primeiro chefe europeu a ultrapassar o milhão de álbuns nos Estados Unidos.

«Sou o primeiro produto francês de exportação francês, na área do disco, há vinte anos», afirmou em 1982.

A sua editora de discos costumava dizer que se se empilhassem todos os seus discos vendidos em cerca de 53 países, eles fariam uma coluna igual a vinte torres Eiffel (300 metros de altura).

Sempre discreto, mas com um estilo inconfundível, o chefe de orquestra coleccionou troféus: três discos de ouro no Japão, Prémio Edison (equivalente musical dos Òscares) para os seus arranjos, Grande Prémio do Disco da Academia Charles Cros, em França.

Piscou também o olho ao clássico, dirigindo formações sinfónicas prestigiadas como a Sinfónica de Londres ou a Orquestra de Berlim.

O pai deu-lhe o nome de Franck por admirar o compositor César Franck - e ele gravou também obras de grandes compositores como Beethoven ou Mozart.

O essencial da sua actividade musical aconteceu em estúdio, onde

ele foi um dos primeiros a utilizar processos técnicos como a câmara

de eco.