I Liga

Benfica sofre para vencer Farense

O Benfica regressou às vitórias na I Liga, depois de bater o Farense, por 2-1. Os algarvios adiantaram-se no marcador, mas nos últimos cinco minutos, Van Hooijdonk e João Tomás deram a volta ao resultado. O jogo fica marcado pelo lance da grande penalidade favorável ao Benfica.

O Benfica sofreu muito para vencer o Farense, no Estádio da Luz, em jogo a contar para a 11ª jornada da I Liga. O Benfica dominou o jogo mas não conseguiu criar situações de perigo. Raul Iglésias, guarda-redes do Farense, também se exibiu em bom plano.

A cinco minutos do fim, os «encarnados» estavam a perder, mas António Costa assinalou uma pretensa grande penalidade a punir mão de Rubio. Van Hooijdonk empatou e o Benfica ganhou uma nova motivação para os minutos finais.

O triunfo dos «encarnados» acaba por ser justo, apesar dos «sustos» defensivos sempre que os comandados por Manuel Balela partiam para o contra-ataque.

No lado direito da defesa, Dudic regressou à titularidade, em detrimento de Rojas. e Miguel mereceu a inclusão no «onze», em virtude da ausência do egípcio Sabry, após a sua polémica entrevista concedida ao jornal «A Bola».

Ao intervalo, Benfica e Farense mantinham-se empatados sem golos. O resultado aceitava-se, pois os «encarnados» tinham controlado a posse de bola mas não conseguiam criar verdadeiras situações de golo. O Farense limitou-se a defender, sem conseguir sair para o contra-ataque.

Na segunda parte, a pressão do Benfica acentua-se com as entradas de Carlitos e João Tomás para os lugares dos «apagados» Poborsky e Dani. Mas em contra-ataque, Marco Nuno inaugura o marcador no Estádio da Luz, aos 73 minutos. O extremo esquerdo escapa-se a Dudic e, à saída de Enke, remata rasteiro, por baixo do corpo do guarda redes.

Aos 84 minutos, surge o caso do jogo. Van Hooijdonk empata o jogo, através da cobrança de uma grande penalidade a punir pretensa mão de Rubio na grande área. O remate partiu muito perto do jogador espanhol que protegeu a cara com a mão. António Costa entendeu apontar para a grande penalidade.

Cinco minutos depois, João Tomás coloca um Benfica muito motivado em vantagem, na sequência de um pontapé de canto apontado por Calado. Van Hooijdonk «ganha» de cabeça e deixa a bola à disposição do remate de João Tomás.