Futebol

Carlos Cruz preocupado com Euro'2004

Carlos Cruz mostrou-se ontem, na Maia, muito preocupado com a organização do Euro'2004. Em particular, com o facto de a actual estrutura ser simultaneamente responsável pela organização do campeonato e pela construção dos estádios.

Carlos Cruz teceu ontem, na primeira sessão das «Noites Quentes do Desporto na Maia», fortes críticas à forma da «Euro'2004 SA» e ao ministro Adjunto e Administração Interna, Fernando Gomes.

PUB

«O ministro Fernando Gomes afirmou que me convidou para o marketing do Euro'2004 e, numa entrevista ao jornal Jogo, disse 'Eu quero o Carlos Cruz' e fiquei surpreendido... ele nunca falou comigo», lamentou Carlos Cruz.

O rosto da candidatura portuguesa reafirmou, no entanto, a sua disponibilidade pontual para integrar a organização da prova, mas foi claro: «Para ser sincero, mesmo sendo politicamente incorrecto, devo dizer que temo que não sejamos capazes de corresponder à responsabilidade».

«Receio por esta estrutura, que, na minha opinião, está profundamente errada, é um erro monumental. Uma coisa é o futebol e a organização da prova e outra os estádios e as obras públicas, as duas coisas não deveriam estar misturadas», disse Carlos Cruz.

Embora esperando estar enganado e lembrando que após a vitória garantiu ao presidente da UEFA, Lennart Johansson, que Portugal ia realizar «o melhor campeonato da Europa», prognosticou: «Isto vai trazer, a curto prazo, graves problemas. Estou muito céptico em relação à eficácia desta estrutura».

Pelo contrário, o secretário geral da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), António Sequeira, defendeu a actual estrutura, justificando que «evitar burocracias» foi a principal razão que esteve na origem da criação da «Euro'2004 SA» nestes moldes.