Perfil

Oliveira Martins: a paixão dos livros

«É na batalha pela educação que se luta contra a barbárie», defende Guilherme d'Oliveira Martins, para quem o «pensamento débil» está a conduzir ao apagamento dos ideais. É o convidado de hoje do Forum TSF.

Guilherme Waldemar Pereira d'Oliveira Martins nasceu em Lisboa em 1952. Frequentou o Liceu Pedro Nunes e licenciou-se em Direito na Universidade de Lisboa em 1974, tendo tirado o mestrado na mesma área em 1981.

Desde sempre que nutre uma paixão intensa pelos livros. O seu quarto em criança dava para a biblioteca do avô. É sobrinho bisneto do historiador Oliveira Martins, sobre quem escreveu uma biografia.

Sobriedade, regra e erudição são algumas das suas principais qualidades. É advogado e foi também professor universitário, função que diz ter exercido «com muito gosto». Foi, nomeadamente, assistente da Faculdade de Direito de Lisboa, entre 1977 e 1985, e professor da Universidade Internacional, nas áreas do Direito Financeiro e do Direito da Economia (1987/1995).

Em 1974 entrou para o PSD onde foi fundador da Juventude Social Democrata. Mas abandonou o partido em Abril de 1979, trocando-o pela Aliança Social-Democrata Independente (ASDI).

Nesse ano foi também chefe do gabinete do Ministro das Finanças, Sousa Franco, e consultor jurídico dos Ministérios do Comércio e das Finanças entre 1975 e 1986.

É um grande amigo de Mário Soares, de quem foi consultor da Casa Civil, quando este era Presidente da República entre 1986 e 1991, sendo ainda um dos impulsionadores do MASP, o movimento de apoio à candidatura do ex-PR, em 1985 e 1991. Foi deputado à Assembleia da República pelo PS em diversas legislaturas.

Na educação, exerceu as funções de secretário de Estado da Administração Educativa (1995-1999) e porta-voz do grupo parlamentar do PS para a Educação (VI legislatura) e foi membro do Conselho Nacional da Educação até 1995.

Ocupou ainda os cargos de presidente do conselho coordenador da SEDES, Associação para o Desenvolvimento Económico e Social (1985-1995), e de Vice-Presidente da Comissão Nacional da UNESCO (1988-1994).

Grande oficial da Ordem do Infante D. Henrique e comendador da Ordem de Isabel a Católica (Espanha), foi também co-director da revista «Estado e Direito» e membro da redacção da revista «Risco». Entre muitas outras funções, actualmente pertence ao Conselho de Redacção da revista «Finisterra», sendo colaborador permanente do «Diário de Notícias» (desde 1978) e do «JL».

1978- «Democracia Incompleta», com António Rebelo de Sousa

1983-84 e 1984-85 «Lições sobre a Constituição Económica Portuguesa», 2 volumes, AAFDL

1986- «Oliveira Martins, uma biografia», INCM, 1986;

1988- «Ministério das Finanças, Subsídios para a sua história no bicentenário da criação da Secretaria de Estado dos Negócios da Fazenda»

1991 e 1993- «Escola de Cidadãos, Fragmentos», 2 edições, 1991 e 1993;

1991- «Portugal, Instituição e Factos», INCM, com traduções em francês, inglês e mandarim

1993- «O enigma europeu», Quetzal

1993- «A Constituição Económica Portuguesa - Ensaio Interpretativo», com A. L. Sousa Franco, Almedina

1995- «Portugal no centro da Europa», com coordenação de. Álvaro de Vasconcelos, Quetzal, 1995

1998- «Educação ou Barbárie?», Gradiva, 1998

1999- «Terceira Via», com Alberto Martins, Carlos Zorrinho, Francisco de Assis, João de Almeida Santos e Leonel Moura, Fenda

1999- «Oliveira Martins, um combate de ideias», Gradiva, 1999. Prefaciou na edição das obras completas de Oliveira Martins (Guimarães Editores) o capítulo D. Afonso VI, Política e Economia Nacional e História da Civilização Ibérica.