Los Angeles

Presidente da Liga de Defesa Judaica detido pela polícia

O presidente da Liga de Defesa Judaica e um dos seus seguidores foram detidos, esta quarta-feira, pela polícia federal dos EUA, alegadamente, por planearem ataques à bomba a uma mesquita e a outros dois locais de Los Angeles.

O presidente da Liga de Defesa Judaica e um dos seus seguidores foram detidos, em Los Angeles (Califórnia), pela polícia federal norte-americana por, alegadamente, conspirarem para atacar uma mesquita e o escritório de um legislador, informaram as autoridades.

Fontes oficiais revelaram que o principal suspeito, Ivr Rubin (na foto), e um membro da Liga, Earl Kruegel, foram presos, terça-feira, nas suas respectivas residências.

Ambos foram acusados de conspiração para fazer explodir uma bomba na mesquita Rei Fahd, num subúrbio de Los Angeles, assim como no escritório do legislador estadual Darrell Issa e nas instalações do Conselho de Assuntos Públicos Muçulmanos.

As fontes acrescentaram que os dois homens conspiraram com um terceiro que denunciou o plano às autoridades.

Segundo este informador, Kruegel estava convencido de que os atentados eram necessários porque «os árabes precisam de uma advertência».

Suspeitos vão hoje a tribunal

Rubin e Kruegel devem comparecer, esta quarta-feira, perante um tribunal para que seja estabelecida a fiança e marcada a data da nova apresentação ao juiz.

Ivr Rubin já esteve associado ao assassínio, em 1985, de Alexander Odeh, director regional do Comité Árabe norte-americano contra a Discriminação.

Odeh morreu na explosão de uma bomba no seu escritório, 24 horas depois de ter participado num programa de uma televisão local onde defendeu a Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

Rubin negou qualquer participação nesse atentado, mas afirmou não lamentar a morte de Odeh.

A Liga de Defesa Judaica foi fundada pelo rabino Meir Kahane, assassinado em Nova Iorque em 1990.