Partido Socialista

Henrique Neto quer «Pensar Portugal»

Henrique Neto vai lançar no congresso do PS, dias 15, 16 e 17 de Novembro «Pensar Portugal» o nome da moção, com 32 páginas, onde pede aos socialistas um debate político interno que inclui muitas propostas e ideias.

Ao congresso socialista vai ser apresentada uma moção de Henrique Neto que volta, assim, a apresentar as ideias ao partido depois de o ter feito, também, em Abril de 2001, o último congresso de António Guterres.

Henrique Neto, crítico nesta moção, defende que o Partido Socialista deve libertar-se do «complexo do centro».

«Não sejam os socialistas os coveiros da esquerda», apela Henrique Neto, remetendo para um debate que considera urgente num partido que entende ter uma declaração de princípios pobre, apesar das alterações feitas.

O socialista considera, ainda, que o partido não pode ceder à ideia errada e decadente de que é preciso uma aproximação ao centro para ganhar.

Com estes sublinhados o actual empresário e antigo dirigente e deputado socialista fala de um PS que no governo cedeu em demasia a sectores e interesses que vão do futebol à construção civil e das obras públicas à especulação imobiliária, ou seja, de um partido que se deixou toldar pelo poder, e transformou-se numa instituição essencialmente burocrática.

António Guterres é um dos visados na moção, por não ter permitido o debate no último congresso, e porque à frente da Internacional Socialista mantém uma liderança sem ideias, convicções ou respostas adequadas.

Em dez capítulos Henrique Neto faz uma análise critica abrangendo áreas como a economia, a educação, a reforma do sistema político, a globalização e a ética republicana.

Considera que é um bloco central (PSD e PS) de interesses sem controlo democrático efectivo, sugere o reforço das instituições de controlo do governo, o aumento da remuneração dos políticos eleitos como forma de escolha dos melhores, e a moralização dos ordenados dos administradores de empresas públicas.

A criação de círculos uninominais é, também, uma das propostas apresentadas bem como a realização de eleições primárias nos partidos para a escolha de militantes na ocupação de cargos políticos.

«Pensar Portugal» é o que pede Henrique Neto aos socialistas nesta moção.