lisboa

Frank Gehry promete «magia» no Parque Mayer

Frank Gehry, o arquitecto que vai redesenhar o Parque Mayer a convite da Câmara Municipal, chegou, ontem, a Lisboa. Após reunião com Pedro Santana Lopes prometeu que o Parque será um «espaço mágico».

Depois de no domingo à noite ter visitado o Parque Mayer, onde assistiu a parte do espectáculo de teatro de revista que está em cena, Gehry esteve segunda-feira de manhã reunido nos Paços do Concelho com o presidente da autarquia.

PUB

O arquitecto prometeu que será um «espaço mágico» e após reunião com Pedro Santana Lopes, questionado pelos jornalistas sobre uma eventual intervenção semelhante à que fez em Bilbau, disse esperar melhor porque «o Parque Mayer é mágico».

O arquitecto premiado anunciou ainda ter convidado Siza Veira para um projecto na Califórnia, que vai juntar os dois arquitectos que já ganharam o prémio Pritzker, considerado o Nobel da arquitectura.

Frank Gerhy, autor de obras marcantes, tornou-se notado pelo emprego de materiais muito invulgares e pelos insólitos desenhos geométricos, mas foi o museu Gugenheim que lhe pôs o nome da montra do mundo em 1997.

Manuel Graça Dias e Nuno Teotónio Pereira dois arquitectos portugueses admiradores da obra do norte-americano em declarações à TSF falaram daquele que pode mudar a cara do Parque Mayer.

«Embora não seja fã de toda a obra de Frank Gehry, gosto imenso da maior parte dela, nomeadamente o museu de Bilbau, portanto as minhas expectativas são bastante altas. O que vier a fazer será uma peça que valorizará a cidade e resolverá eventualmente os problemas que forem colocados na encomenda do projecto», afirmou Graça Dias.

O arquitecto de naturalidade canadiana é tido por muitos como um dos maiores arquitectos contemporâneos.

Nuno Teotónio Pereira gosta da escolha para a construção de um casino em Lisboa, mas considera que para o Parque Mayer não terá sido a melhor ideia.

«Costuma ser representado por edifícios com grandes objectos arquitectónicos, com grande espectacularidade, e isso não se adapta ao caso do Parque Mayer, que necessita de uma intervenção muito sensível que ponha em destaque os valores locais, nomeadamente a vista para o Jardim Botânico», afirmou Teotónio Pereira.

Frank Gehry, que ficará em Lisboa até terça-feira, visitou, ainda, esta manhã o Parque das Nações, o Largo de São Pedro de Alcântara e o Jardim Botânico.