Televisão

Morreu Fialho Gouveia

O apresentador de televisão Fialho Gouveia faleceu este sábado de manhã, vítma de doença cardiovascular. O funeral realiza-se domingo à tarde, após missa em Benfica. Para trás, Fialho Gouveia deixa uma vida dedidaca à televisão e ao Benfica.

Aos 69 anos, e depois de uma vida dedicada à comunicação, o apresentador Fialho Gouveia faleceu este sábado, vítima de doença cardio-vascular.

Com mais de 30 anos a trabalhar na RTP, os primeiros passo de Fialho Gouveia no mundo da comunicação deram-se na faculdade, num concurso para locutores da Rádio Universidade. Para trás ficou um curso de Filologia Românica que nunca terminou.

Mais tarde o director da rádio Universidade, Caetano de Carvalho, informou-o de que estava aberta uma vaga para novos locutores para a RTP e Fialho Gouveia concorreu e ficou, passando a integrar os quadros da única televisão que existia então em Portugal.

Em 1959, juntamente com Paulo Cardoso, inaugurou as emissões de rádio à tarde na Renascença com o programa "Diário do Ar".

Depois desta experiência, Fialho Gouveia fez no Rádio Clube Português "A Onda do Optimismo", com Artur Agostinho, Maria Helena Varela, Jorge Alves, Gina Esteves e Isabel Volmar.

Em 1968, participou no programa da Rádio Renascença "PBX", uma produção dos Parodiantes de Lisboa, tendo trabalhado com Carlos Cruz, João Paulo Guerra, José Nuno Martins, Paulo Morais e Adelino Gomes.

Mas foi a televisão que lhe deu um maior reconhecimento público, estando o seu percurso profissional ligado à própria história do canal público.

O seu nome vai ficar sempre ligado ao programa "Zip-Zip" (1969), o primeiro "talk-show" produzido pela televisão portuguesa, em que participavam Raul Solnado e Carlos Cruz, sob a direcção de Luís Andrade, e ao "A Visita da Cornélia", também com Raul Solnado.

Em 1970, devido ao êxito do "Zip-Zip" na televisão, Fialho Gouveia e a equipa do "PBX", a que se juntou Joaquim Furtado, integraram o programa "Tempo Zip", primeiro no Rádio Clube Português e

mais tarde na Renascença.

Na história da sua vida profissional fica ainda a presença no espaço informativo da RTP 1 - o locutor estava de serviço com Fernando Balsinha quando se deu o 25 de Abril de 1974.

Para a memória ficam ainda programas como "O Gesto é Tudo", "E o Resto são Cantigas", "A Prata da Casa", "Vamos Caçar Mentiras", "Com Pés e Cabeça", "Arca de Noé", "Entre Famílias" e "Par ou Ìmpar".

Fialho Gouveia apresentou também, e durante vários anos, os "Festivais da Canção" e ainda "Os Jogos Sem Fronteiras".

Benfiquista ferrenho, era actualmente secretário da assembleia-geral do Sport Lisboa e Benfica.

O funeral de Fialho Gouveia realiza-se domingo à tarde no Cemitério dos Olivais, em Lisboa, onde o corpo será cremado.

Ainda este sábado o corpo seguirá para a Igreja de Nossa Senhora do Amparo. A missa de corpo presente realiza-se às 15:00 de domingo.