Guiné-Bissau

Funeral de Correia Seabra sem honras de Estado

Milhares de pessoas acompanharam hoje as cerimónias fúnebres, sem honras de Estado, do general Veríssimo Correia Seabra, Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA), abatido quarta-feira na sequência de uma rebelião militar.

Os restos mortais de Veríssimo Seabra e do coronel Domingos de Barros, chefe da Divisão dos Recursos Humanos e porta-voz do Estado- Maior, foram depositados no cemitério municipal da capital guineense apenas com três salvas de rajadas, na ausência do chefe de Estado guineense, Henrique Rosa, que se fez representar pela mulher.

Choros em histeria, lamentos e palavras de consolo aos familiares dos dois oficiais defuntos eram o mote no momento da deposição das caixas fúnebres nas valas abertas a pouco mais de um metro uma da outra.

À frente de uma importante delegação das autoridades guineenses estava o primeiro-ministro local, Carlos Gomes Júnior, ladeado por quase todos os ministros do seu governo, e os presidentes do Parlamento, Francisco Benante, e do Supremo Tribunal de Justiça, Maria do Céu Monteiro.

A missão da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que inclui os chefes da diplomacia de São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, chegou hoje a Bissau para ajudar a resolver a crise provocada pelo levantamento militar de quarta-feira.

Conforme explicou o ministro são-tomense, Ovídeo Pequeno, o objectivo da missão é «ajudar nos esforços para encontrar uma solução definitiva para os problemas que assolam a Guiné- Bissau».