Presidenciais

Garcia Pereira contra Soares e Cavaco

O dirigente do PCTP/MRPP António Garcia Pereira anunciou, esta segunda-feira, que vai candidatar-se novamente à Presidência da República, contra Mário Soares e Cavaco Silva, argumentando que se um dos dois ex-primeiros-ministros for eleito será «o desastre total».

Perante cerca de 70 apoiantes, na Casa do Alentejo, em Lisboa, Garcia Pereira apontou o candidato apoiado pelo PS à Presidência da República, Mário Soares, e o possível candidato Cavaco Silva como os responsáveis pela «crise gravíssima» em que se encontra o país.

«É contra eles, como os grandes dirigentes políticos da miséria, da fome, do desemprego para o povo português e a grande perda da independência para o nosso país, é contra a sua política que o mesmo povo português se tem e se deve erguer», declarou, argumentando que a vitória de Soares ou de Cavaco será «o desastre total».

«Esta gente expropriou-nos dos nossos sonhos. E agora quer também expropriar-nos da própria República» e «representa exactamente o mesmo tipo de golpes palacianos e oportunistas que liquidam a democracia», acrescentou.

O dirigente do PCTP/MRPP acusou Cavaco Silva de pretender «surgir de entre as brumas do nevoeiro» como «um salvador da pátria» e, numa referência ao ditador António Salazar, completou que o ex-líder do PSD pretende emergir «um pouco mais a sul do que Santa Comba Dão».

Quanto a Mário Soares, Garcia Pereira acusou-o - bem como a Manuel Alegre - de avançar «para impedir uma candidatura democrática e patriótica que poderia e deveria ter surgido», que depois esclareceu ser a do ministro dos Negócios Estrangeiros e fundador do CDS-PP Freitas do Amaral.