PSD

Marques Mendes é o novo líder

Luís Marques Mendes foi eleito este domingo o líder do PSD, com 56,6 por cento dos votos. O candidato contou com o apoio de 497 votantes contra os 381 conseguidos por Luís Filipe Menezes.

Luís Marques Mendes foi hoje eleito presidente do PSD no XXVII Congresso Nacional do partido com 497 votos, mais 116 que os obtidos por Luís Filipe Menezes (381).

Estes números traduzem-se numa vitória de Marques Mendes com 56,6 por cento dos votos, contra 43,4 por cento dos votos conquistados por Luís Filipe Menezes.

Marques Mendes, que tinha Luís Filipe Menezes como único adversário, sucede assim a Pedro Santana Lopes no cargo de presidente do PSD.

Manuela Ferreira Leite foi eleita presidente da Mesa do Congresso, com 549 votos, garantindo assim 63,4 por cento dos votos.

A lista encabeçada pela antiga ministra bateu a lista proposta por Menezes e encabeçada por Luís Todo-Bom acabando esta ultima por obter apenas 316 votos.

Para a comissão política nacional foram eleitos como vice-presidentes José Eduardo Azevedo Soares, Paula Teixeira da Cruz, Arlindo Cunha, Carlos Encarnação, Isabel Damasceno e Pedro Passos Coelho.

O novo secretário-geral do PSD é Miguel Macedo, que sucede a Miguel Relvas.

Os vogais da comissão política nacional são Macário Correia, Dulce Franco, Telmo José Moreno, Maria de Lurdes Costa Sousa, Vasco Cunha, Regina Bastos, Maria do Céu Baptista Ramos, Álvaro dos Santos Amaro, Joaquim Coimbra e Vasco Rato.

Quanto ao Conselho de Jurisdição Nacional, a tendência não se alterou com o triunfo da lista de Marques Mendes liderada por Guilherme Silva, graças aos 411 votos alcançados.

Este órgão fica agora a ser constituído por Bacelar Gouveia, Gonçalves Sapinho, Francisco José Martins e Francisco Ferreira, todos eleitos pela lista de Marques Mendes.

Pelas lista de Luís Filipe Menezes, que conquistou 274 votos, foram eleitos Amorim Pereira, Motta Veiga e Carlos Silva e Sousa, com Filipa Guadalupe Fragata a conseguir a eleição para o órgão através da lista D.

A moção proposta ao Congresso por Marques Mendes, com o título «Portugal quer um PSD mais forte», foi a mais votada com 435 votos.

A moção de António Borges foi a segunda mais votada, conquistando mais dez votos do que a subscrita por Luís Filipe Menezes.

Segundo resultados apurados após uma recontagem de votos, a moção do economista obteve 290 votos contra 280 de Luís Filipe Menezes.