Parlamento

Cravinho abandona AR para administrar BERD

João Cravinho foi nomeado pelo Governo administrador do Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento, em Londres. O deputado promete que, antes de abandonar o Parlamento, vai deixar definido o pacote anti-corrupção.

João Cravinho aceitou renunciar ao mandato de deputado do PS na Assembleia da República para ser administrador do Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento (BERD), em Londres, por designação do Governo português.

A pessoa que ocupa o cargo de administrador, alternadamente escolhida pelos governos português e grego, terá de acompanhar a transição das economias dos países que vão entrar na União Europeia, num mandato de três anos.

João Cravinho, que irá iniciar funções no BERD a 1 de Fevereiro, prometeu que só deixará a Assembleia da República após estar definido o pacote anti-corrupção que apresentou à algum tempo e que ainda vai a debate no interior do grupo parlamentar socialista.

«Quero tornar completamente claro que não sairei do Parlamento sem deixar definido na integra o pacote anti-corrupção que entendo necessário ao desenvolvimento do país», garantiu o deputado.

António José Teixeira, director do Diário de Notícias, comentou, em declarações à TSF, que esta é uma «saída embaraçosa», já que João Cravinho tinha uma «voz crítica», que agora «se apaga no Parlamento», fazendo do PS um partido «mais alinhado».