desenho

Beber...e desenhar. Parece contraditório, mas há quem diga que resulta

No Dia do Desenhador, a TSF dá a conhecer sessões em que os participantes são desafiados a desenvolver a criatividade e descontrair a partir do desenho. Juntam-se um ou dois copos para apurar a inspiração.

Viver no risco ou beber no risco traçado a carvão. Tânia Valle e Ana Fontinha descobriram o conceito em Nova Iorque e importaram-no para Lisboa. A ideia é matar a sede de inspiração com uns goles de bebidas alcoólicas e desenhar ( "Drink & Draw" ). "Temos sempre um modelo vivo que vai fazendo várias posições. Todos desenham essa pessoa", partilha Tânia Valle à TSF.

PUB

Não é um concurso...Nem nenhuma sessão de desenho profissional. Uns têm mais talento artístico, outros têm mais talento para beber e, ao bebericar, podem criar picassos ou pinturas rupestres.

Não há muitas regras para além de desbloquear os medos do papel branco, da folha vazia, da tábua rasa. Mas o vinho dilui muitas inseguranças. "Todos nós temos alguns bloqueios. Quando se junta um copo de vinho à equação, as coisas ficam mais ligeiras", explica uma das responsáveis pela iniciativa.

Outra das regras é manter os telemóveis desligados, para que os sentidos despertem apenas para a criação artística. Depois, é só apurar o paladar e o traço. A desinibição faz parte da receita que vem apenas trazer à tona do líquido a sensibilidade que já existe em cada um. "Todos somos seres criativos", garante Tânia Valle.

É já esta terça-feira a próxima sessão de "Drink and Draw" em Lisboa, mas já está esgotada. As oportunidades, no entanto, não faltarão. A iniciativa normalmente acontece de 15 em 15 dias, às terças-feiras. A seguinte é no dia 25 de Abril, às 19h, no espaço "A Sala", em São Bento.

  COMENTÁRIOS