Confissões de Dostoiévski em Toda a Vida

Carla Maciel estreia-se na encenação em nome próprio com "Confissões de um Amor Ardente".Com um elenco de homens e uma mulher.

Fiodor Dostoiésvki é a matéria-prima deste espetáculo, todas as obras estão aqui, Carla Maciel, começou devagar, mas tudo se impôs, toda a obra está aqui nestas Confissões de Um Amor Ardente, um mundo filosófico, confessional, masculino, mas neste espetáculo entre os homens há uma mulher, que pode ser todas as mulheres, ou um fantasma de uma qualquer mulher, ou aquela. Esta personagem feminina é todas as mulheres, evocadas na obra de Dostoievski e todos os personagens masculinos, são ele, o autor em todas as fases da vida, é ele naquele quarto, os cinco personagens, unidos pela ideia de amor. Escreve o próprio, Dostoiévski, quem não ama aborrece-se no sentido mais radical do termo, e quem se aborrece desenvolve infalivelmente as mais sólidas deformações da alma e do corpo.

A partir de Fiodor Dostoiévski, Encenação Carla Maciel, Assistência de Encenação Teresa Coutinho, Interpretação Albano Jerónimo, Goncalo Waddington, Marco Paiva, Miguel Loureiro, Teresa Coutinho, Tonan Quito, Cenografia Maria Ribeiro e Nadia Henriques, Desenho de Luz Daniel Worm D"Assumpcao, Fotografia de cena Mario Melo Costa, Produção Manuel Pocas, Apoio Quinta Vale D. Maria, COPRODUÇÃO CCB/CINE-TEATRO LOULETANO

Confissões de um Coração Ardente, com encenação de Carla Maciel, estreia esta noite no pequeno auditório do CCB, em Lisboa e fica até até domingo 17 de fevereiro.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de