No Escuro e à Escuta, como na Rádio!

No Programa Abril em Lisboa da Câmara Municipal e da empresa EGEAC, estreia hoje o documentário sonoro "No Escuro e à Escuta", a Censura e a Propaganda no Estado Novo, ouvir rádio numa pequena sala de cinema.

A sala em si já é um documento, uma pequena sala que servia para visionamento dos filmes e onde diz a voz corrente, talvez Salazar tenha ali visto cinema. É a sala do edifício da Rank Filmes no Cinema S. Jorge, ainda com uma fila com as cadeiras originais, forradas a veludo vermelho. Sofia Saldanha realizou esta ideia de arquivo de um tempo onde nem tudo se podia ouvir. No Escuro e à Escuta foi feito para estes dias de abril, e para aquela sala, de 21 lugares, a respirar história, ouvir como na rádio, ouvir, ter as palavras, o som como único guia. No Escuto e à escuta, na escuridão do regime e ao mesmo tempo sempre à procura de uma luz, e juntas ouviam a rádio, mesmo que fosse à porta fechada para que não se soubesse, para que mais ninguém ouvisse, ouvir histórias, como na rádio, de novo a ouvir em grupo

No Escuro e à Escuta, documentário sonoro, estreia hoje com sessões à uma da tarde e às sete e meia da tarde na sala de visionamento do edifico da Rank Filmes, no cinema S.Jorge, em Lisboa até 28 de abril.

Continuar a ler