"Devolvam o padrão do Diogo Cão"

Conselheiro das Comunidades Portuguesas na Namíbia lidera movimento para que a Alemanha devolva o padrão colocado pelo navegador português Diogo Cão no século XV, no Cabo da Cruz.

A jornalista Isabel Meira conta o caso do padrão colocado por Diogo Cão na Namíbia no século XV, que está agora na Alemanha

00:0000:00

Manuel Coelho vive há mais de 50 anos na Namíbia e não se conforma com o facto de os alemães continuarem na posse do monumento.

O conselheiro das Comunidades Portuguesas defende que o Governo de Windhoek deve reclamar junto do executivo de Berlim, para que o padrão, com mais de 500 anos, seja devolvido às autoridades namibianas.

É um padrão de pedra, com cerca de 2 metros de altura e mais de 350 kg, com uma cruz no topo, que foi colocado pelo navegador Diogo Cão em 1486, quando chegou à parte central da costa namibiana, batizando assim o Cabo da Cruz (Cape Cross em inglês) e assinalando a descoberta do ponto mais meridional alcançado até então pelos europeus em África.

Em 1893, quando os navegadores alemães lá passaram, viram o padrão, decidiram levá-lo para a Alemanha e até hoje estão na posse do monumento de Diogo Cão.

A TSF viaja a convite do Turismo do Alentejo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de